domingo, outubro 20, 2013

ESPECIALISTA FALA SOBRE PORTO PESQUEIRO – BAÍA DO PONTAL

POR: Ronaldo Lavigne – Geógrafo/Advogado/Ms em Meio Ambiente
Década de 20
Década de 20
Ambiente costeiro lindíssimo, conhecido como ESTUÁRIO – berço da reprodução das espécies marinhas, local de uma diversidade animal e vegetal brilhante, além disso, uma verdadeira pista para os esportes náuticos e o turismo. É PRECISO INCENTIVAR E PRESERVAR!
A Baía do Pontal conhecida como desembocadura da Bacia do Rio Cachoeira, por muitos anos se caracterizou pelo que o ambiente proporcionou para o desenvolvimento econômico de Ilhéus e região, ali na década de 20 iniciava as atividades operacionais do Porto Internacional do Cacau, canal onde os navios atracavam para transportar o fruto de ouro.
Por volta da década de 40, com o crescimento da produção da lavoura cacaueira e o constante assoreamento oriundo da forte descarga hidráulica dos rios que ali desaguam, começava a dificuldade de escoamento, muitas vezes os navios ficavam ao largo da Praia de São Sebastião e as chatas levavam as sacas de cacau até os navios.
Observe que naquela época os estudos batimétricos (profundidade da lâmina d’agua até  ao assoalho continental ou marinho) realizados naquele ambiente, demonstravam uma profundidade em torno de 7 metros, no entanto, os estudos do Ministério das Hidrovias verificou que seria inviável um investimento no Porto das margens do Rio Cachoeira, tendo em vista, que o acúmulo de areia fluvial naquele canal anualmente seria imenso, tornando-se impossível o investimento, sendo melhor e mais barato a construção de um novo porto na enseada de malhado. Em 1971, o Presidente Medici, veio a Ilhéus inaugurar o novo Porto internacional do Cacau (Porto de Malhado), hoje Porto de Ilhéus, na época também conhecido como o 1º porto construído em mar aberto.
Apenas para uma reflexão rápida, veja que nesse tempo Ilhéus era uma cidade economicamente bem sucedida, contribuía bastante para o Estado e a União com os tributos, hoje não só a cidade de Ilhéus, mas os municípios na sua maioria estão falidos, significa dizer que hoje as condições de realizar dragagens são menores que daquela época. Então, quando o Governo da Bahia, autorizou um investimento para o Porto Pesqueiro de Ilhéus, iniciativa essa louvável, deveria ter observado através dos estudos que a batimetria do canal da Baía do Pontal atualmente gira em torno de 2 metros na maré baixa, tornando-se inviável todo investimento realizado. Torço para que o Governo do Estado através da Bahia pesca assuma a responsabilidade de realizar as dragagens necessárias, com objetivo de atrair grandes empresas do setor pesqueiro, caso contrário ficará da mesma forma que o atual Porto de Ilhéus, sem interesse dos exportadores e armadores, por falta de um calado em torno de 15 metros.
Em relação à  revitalização do armazém, mantendo as suas características históricas, parabenizamos a toda equipe que desempenhou o projeto, turisticamente fantástico, quanto à operacionalidade do Porto Pesqueiro, tenho dúvidas! Postagem original no blog Agravo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário