segunda-feira, outubro 28, 2013

ASSIM CAMINHA O GOVERNO JABES RIBEIRO, DOSSIÊ MOSTRA SITUAÇÃO CAÓTICA DA SAÚDE EM ILHÉUS


Sem serviço de coleta, o lixo é guardado dentro da Policlínica da Conquista. Foto de Fábio Bomfim.
Sem serviço de coleta, o lixo é guardado dentro da Policlínica da Conquista. Foto de Fábio Bomfim.
O Sindicato dos Servidores Públicos de Ilhéus (Sinsepi) protocolou, na última sexta-feira (26), um dossiê sobre a situação da saúde na cidade. Os documentos foram entregues à prefeitura e ao Ministério Público e revela que o caos da saúde, em parte herdado do ex-prefeito Newton Lima, é muito maior que os 12 milhões de reais deixados em dívidas.
Nas mais de cem fotos anexadas ao dossiê, o reflexo de meses de descaso do ex-secretário Ronaldo Lavigne e da inércia da gestão Jabes Ribeiro. Em dez meses de governo, a prefeitura colocou apenas 3 unidades de saúde em funcionamento.
Entre os postos visitados pelo sindicato, estão o Centro de Saúde da Zona Sul, o Sarah Kubitschek, no Parque Infantil, o PSF do Nelson Costa, a unidade do Centro Social Urbano e a Policlínica da Conquista.
As fotos deixam clara a situação da saúde em Ilhéus, que é mantida com verbas próprias, mas não oferece as condições mínimas de atendimento ao cidadão.
Na Policlínica do Malhado, o lixo hospitalar é armazenado dentro da própria unidade. Agulhas e restos de curativos podem representar sérios riscos aos pacientes, mas, para o bem ou mal, a unidade passa mais tempo fechada que aberta.
Em todas as unidades, a precariedade da estrutura física, unida à falta de material de consumo, é o principal problema.
A falta de funcionários e a sobrecarga de trabalho sobre os poucos que sobraram só ratifica o erro do prefeito Jabes Ribeiro, que, no início do ano, demitiu todos os contratados da saúde, mas não contratou outros trabalhadores.
Sala de atendimento virou depósito na unidade do Nelson Costa. Foto de Fábio Bomfim.
Sala de atendimento virou depósito na unidade do Nelson Costa. Foto de Fábio Bomfim.
Na comunidade do Salobrinho, por exemplo, somente uma unidade funciona, mas sem qualquer aparato material e de funcionários.
O dossiê do sindicato tem por objetivo forçar o município, por meio do Ministério Público, a organizar a saúde, que conta com muita verba federal mas corre o risco de perder os repasses. Em caso de mau uso do dinheiro, convênios podem ser suspensos e o município multado.
Para ver outras fotos, clique no leia mais.
caos7caos6caos5caos4caos3caos2caos1
Matéria do site Ilheus24h.com.br
Aqui segue um comentário de um leitor que vale apena ver e investigar.
 disse:
Vocês deveriam dar uma passadinha na central de regulação também e ver as condições insalubres e de risco que passam os profissionais que ali atendem, tive que ir lá outro dia e fiquei enojado com tanta ,sujeira, mofo, poeira e equipamentos quebrados. ar condicionados podres exalando um odor fétido, pingando água, pilhas de cadeiras quebradas, e segundo informações já teve até acidente de trabalho devido a quedas que alguns funcionários tiveram de cadeiras. algumas destas em que a população até tem que sentar pois não tem outras para repor. e detalhe, gente doente em ambiente que favorece doenças é porta de entrada para gerar epidemias.

Nenhum comentário:

Postar um comentário